Poemas...

eu sandeu

mesmo sabendo que você não me quer
mesmo sofrendo por sua causa, mulher
não consigo te esquecer,
não posso me deter,
eu sandeu.

e como dói não ser visto
como arde a vontade ao vê-la; instinto
eu queria ser como os outros e te deixar…
procurar qualquer outra aqui, acolá.
mas não tiro você do meu peito.
eu sandeu.

mesmo que você não tenha me querido
eu faria tudo novamente, tenho dito
a dor que você trouxe,
e que dói até hoje,
me fez bem (!)
homem crescido,
mais forte também.

mas afinal, gosto de minha sandice.
nunca quis mesmo estar nessa lama moderna: imundície
que tu encontres um bom homem por companheiro,
se não eu,
outro sandeu!

Poemas...

Viver

O único motivo
para se viver
se torna, com o tempo,
vingar-se da própria vida.
Vivemos apenas para
pirraçá-la.
Vivemos apenas porque
a morte seria desistir.
Seria deixar a vida vencer.
Viver é resistir.
Apesar de a vida não
nos querer vivos,
permanecemos respirando.

A vida bate.
A vida humilha.
A vida mutila.
A vida desagrada.
A vida maltrata.
A vida agita.
A vida agride.
E permanecemos de pé.

Não porque vale a pena.
Mas porque não queremos rendição.
Resistir à pressão:
o único motivo que mantém a vida plena.


Deixa um comentário aê!
Será muito bem-vindo 🙂

Poemas...

Moleca

Deixo a melancolia
saltar de mim
pegar um lápis
e riscar o papel.

Ela, danada,
dança na folha
se mexe, se mexe
vai até o céu.

Deixa um poema
que arranca lágrimas,
desenha a tristeza
faz um escarcéu.

— Volte aqui, moleca!
— Não vomite minhas dores por aí!
A senhorita deve ficar aqui
no peito: mausoléu.

Poemas...

Chuva, lave!

Que a chuva lave
todos os sentimentos por você.
Que a chuva leve
a vontade de te ter.
Que não sobrem sinais dessa saudade
do que nunca aconteceu.
E que eu me esqueça da resposta
que você nunca deu.
Que não faça falta sua companhia
que nunca me pertenceu.
E que eu não me lembre mais
de tudo que poderíamos ter sido, você e eu.

Que a chuva lave.
Que a chuva leve.
Que a alma-ave
amanheça leve, leve…

Poemas...

Aço

Largando os sonhos que escolheram
por mim.
Aos mantras que nunca me serviram –
fim.

Deixando partir
quem nunca quis ficar.
E bora festejar
com quem está aqui para agregar.

Jogando fora o que faz mal.
Revisitando a memória,
matando fantasmas do passado mortal.
Ressignificar o caos – Glória!

E refazendo tudo, às vezes perco o passo,
desequilibro e caio.
Mas levanto-me mais forte.
Resiliente, tal qual aço.

Poemas...

H.U.M.A.N.O.

Eu sou sagrado
e sou profano.
Eu sou bom
e também mau.

Por mais que tente
não sou perfeito, sou animal.
Cérebro, coração,
razão emocional.

Vivo do meu jeito
não é minha meta te agradar.
Meu hobby é surpreender
e sei que às vezes vou te machucar.

Adoro ser subestimado
porque posso provar:
é fôlego desperdiçado
você opinar.

Suas expectativas sobre mim
são suas,
não minhas,
não tô me esforçando pra ser assim.

Eu não sou a melhor pessoa do mundo.
Eu não sou a pior pessoa do mundo.
Sou só uma pessoa do mundo.
Sem ser todo mundo.